Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Ex-integrante do Pânico lembra “traição” de Sabrina Sato e explica fracasso do programa
13/07/2018 14:51 em Novidades

Os ex-integrantes do Pânico, Bola e Carlinhos, concederam uma entrevista ao Programa do Porchat, na noite desta última quinta-feira, 12 de julho e, por lá, falaram sobre a extinção do programa. O veterano acredita que a atração humorística tinha capacidade para durar no ar até hoje.

“Acho que ainda tinha gás. Se desse uma reorganizada, a gente tinha mais um gasinho. [O programa] vinha se reorganizando para pior”, afirma. Carlinhos Silva, que interpretava o Mendigo, explica um dos motivos para a decadência: “A gente estava sendo moldado, não podia fazer piada de política nem com o ex-presidente [Lula] no Mensalão”.

Bola comentou a saída de Sabrina Sato para ir para a Record. “Nos sentimos traídos, magoados. Quando ela saiu do ‘BBB’ e foi dar entrevista na rádio não falava, de tão tímida, caipira. Olha onde ela chegou, é sensacional”.

O homem também relembrou os inúmeros processos que o programa tinha: “Perdemos a mão várias vezes, mas nunca me arrependi. Também não tenho orgulho. Se a gente fizesse o ‘Pânico’ na rádio como no começo, ia todo mundo preso, a gente detonava. Iria tudo pra cadeia”.

PÂNICO TENTA VOLTA AO AR NO SBT

Fora da televisão desde 2017, a equipe do Pânico pode voltar ao ar em uma nova casa. Dessa vez, Emílio Surita e sua trupe podem acabar indo parar no SBT.  Silvio Santos e o co-proprietário da franquia seguem com intensas negociações.

O dono do SBT não descarta essa possibilidade e estaria interessado em encaixar a produção, que já passou pela RedeTV!, Band e atualmente está apenas no rádio (Jovem Pan FM), nas noites de sábado, na faixa horária correspondente às 23h. A escolha é em função do humor pesado da atração.

O que vem dificultando as negociações é o fato de Silvio Santos querer que o contrato seja no modelo de sociedade. Dessa forma, o SBT e a produção do programa dividem todos os lucros com comerciais e merchandisings, mas também todos os custos de produção. Essa ideia não agrada a equipe do Pânico.

Emílio Surita e a Jovem Pan, sendo esta última detentora do formato da atração, acreditam que os custos são muito altos e querem receber também pelos direitos autorais da marca. A exemplo do que o SBT paga para os donos do Bake Off Brasil, entre outros. As negociações devem se desenrolar nos próximos dias.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!